top of page

Caieiras

Endereço: Rua Felicidade Correia dos Santos Cidade: Vitória Período: 2019 

Proposta: Ativar um trajeto com narrativas visuais e auditivas em uma rua que tem nome de mulher e é um importante polo gastronômico da cidade. Pessoas envolvidas: Liderança comunitária, donas e funcionários dos restaurantes, professores e alunos da Escola Elza Lemos Andreatta, coordenadora do Cajun, arte-educadores e seguranças patrimoniais do Museu do Pescador, moradores da Rua Felicidade, idosos e frequentadores da Praça.

Um percurso de murais na Ilha das Caieiras retrata paisagens cotidianas do bairro.

 

Entre junho e outubro de 2019, estivemos presentes na Ilha das Caieiras para aprender sobre a região e nos conectar com a comunidade local. O bairro foi popularizado no início do século XX e é considerado um dos mais antigos de Vitória. Apesar do estigma de violência e abandono, tornou-se nos últimos anos conhecido pelo seu turismo associado à atividade pesqueira e à gastronomia.

 

Nossa vivência por lá teve como produto dez pinturas distribuídas em fachadas de casas, comércios, equipamentos públicos e uma praça, além de narrativas auditivas que identificam histórias nem sempre acessadas por quem visita o bairro.

O projeto, que se deu na Rua Felicidade Correia dos Santos, repercute o papel da mulher no território e a paisagem cultural e natural do bairro.

 

O trecho Mulheres do Cais abordou as gerações de mulheres, seu legado que envolve a água, a pesca e o desfio de siri, suas formas de cuidar e existir. Está situado no Museu do Pescador e na praça ao lado.

 

O trecho Pessoas, Percurso e Paisagem valorizou aspectos naturais e culturais do bairro, a partir de uma visão histórica e cotidiana da comunidade. Está situado ao longo de 8 edificações.

Pessoas, Percurso e Paisagem

Pessoas, Percurso e Paisagem

Reproduzir vídeo